Livrarias cariocas se unem na crise

Algumas livrarias do Rio de janeiro tiveram a iniciativa de unirem forças para enfrentar os reflexos causados pela pandemia.

O mercado editorial no Brasil já não é tão favorável aos que possuem livrarias físicas. As altas taxas de impostos não favorecem o consumidor, que, por sua vez, acabam priorizando as compras online, a fim de adquirir preços mais acessíveis.

Consequentemente, as livrarias sofreram ainda mais com a crise causada pela pandemia de covid. Embora o hábito de leitura tenha se intensificado na quarentena, a maior parte dos leitores, até pelo isolamento social, optaram pelas compras online.

Em meio ao cenário de incertezas, as livrarias vêm enfrentando um verdadeiro desafio para manterem suas portas abertas durante esse período. Entre tantas estratégias, algumas livrarias no Rio de Janeiro tiveram a iniciativa mais do que necessária de se juntarem, criando o grupo colaborativo “Livrarias Cariocas”.

Uma das ações do grupo foi a elaboração de um vídeo em defesa das livrarias físicas. O vídeo tem por objetivo conscientizar a população sobre a importância de manter as livrarias abertas, incentivando a compra de livros nos livreiros e pequenos estabelecimentos.

Confira as livrarias que fazem parte desse grupo:

  • Blooks
  • Argumento 
  • Berinjela
  • Folha Seca
  • Janela
  • Malasartes
  • Leonardo Da Vinci
  • Lima Barreto 

As livrarias durante a pandemia

Marcus Gasparian, da livraria Argumento, localizada no Leblon, relembra que são as livrarias e pequenos comércios que proporcionam, além do prazer da leitura, os bate papos e as troca de ideias. “A livraria como espaço físico é um ambiente muito vivo e que humaniza a cidade, o bairro, a rua. Um livro bem recomendado pode mudar a vida de uma pessoa, confortar, abrir um novo norte”.

Uma das mais resistentes livrarias em meio a pandemia, e que está à frente nessa luta por manter suas unidades abertas é a livraria Blooks. Ela chegou a fazer até uma campanha em junho de 2020, com o nome de “Blooks resiste”, com o objetivo de arcar com as despesas da livraria. Mas a iniciativa deu tão certo que arrecadou mais de 50 mil reais, um valor muito acima da expectativa.

Com lojas em Botafogo e em São Paulo, Elisa Ventura, dona da Blooks, falou sobre esse resultado em 2020. “Fiquei surpresa! Ter esse retorno da campanha foi o que me ajudou a me manter, não só financeiramente como psicologicamente. Acho que senti o carinho e o valor que uma livraria independente tem para os leitores“.

Leia também: Retomada das livrarias no pós-pandemia

Deixe um comentário