Reflexão sobre o assassinato do autor de “Memória Viva”: livro sobre Marielle Franco

Leuvis Manuel de Olivero foi assassinado brutalmente em 10 de outubro de 2021. O mais intrigante é que o ocorrido se deu em circunstâncias semelhantes à da personagem real de seu livro “Memória Viva”, a vereadora Marielle Franco. Uma execução, propriamente dita! O que isso pode significar diante do caso antigo? Será mais um crime sem solução?

Embora a polícia acredite que a motivação do crime não tenha nenhuma ligação com o fato de Leuvis ter escrito um livro sobre Marielle Franco, fica difícil não criar essa linha de raciocínio.

Disparos efetuados de um carro em movimento só mostra mais uma semelhança com o crime antigo. O caso Marielle Franco levanta debates até os dias atuais, pois depois de anos do assassinato dela e de seu motorista, ainda não há nenhuma solução. 

Será que o caso de Leuvis também seguirá o mesmo caminho? Será que sua morte está ligada ao fato de ser o autor do título sobre a vereadora?

Relembre o caso Marielle Franco

Em 14 de março de 2018, às 21h30, a quinta vereadora mais votada do Rio de Janeiro foi assassinada dentro de seu carro, junto com o motorista Anderson Gomes, de 39 anos. Os dois foram mortos numa emboscada.

Desde então, o Brasil faz uma pergunta que, três anos depois, ainda não tem resposta: quem matou Marielle Franco? E por quê?

Os mistérios em volta da sua morte envolvem um cenário político e também a milícia do Rio de Janeiro. Pessoas estão presas, mas nada foi revelado. Sua família e amigos ainda vivem sem respostas.

Todos os vestígios se relacionem a esse crime são sempre uma ponta para descobrir os seus mandantes e autores. Então é mais do que natural ligarmos automaticamente a morte do autor do livro sobre Marielle Franco ao assassinato da mesma.

Quem era Leuvis Manuel de Olivero?

Leuvis era cidadão dos Estados Unidos, mas nasceu na República Dominicana. Ele já morava no Brasil há quase dez anos com a namorada e o filho, na cidade do Rio de Janeiro.

Autor de 11 livros, escolheu fazer um em homenagem à vereadora carioca Marielle Franco. Aliás, Leuvis também era crítico ao governo atual e fazia declarações contra o presidente Jair Bolsonaro.

A pergunta que fica é: será que daqui três anos também estaremos ecoando a mesma dúvida que temos em relação à Marielle Franco? Quem matou Leuvis? E por quê?

Leia também: Violência contra a mulher em suas velhas e novas facetas

Deixe um comentário